Rede de Cidades Criativas da UNESCO

INDEX © Adriano Ferreira Borges

Ao longo de mais de duas décadas, a Rede de Cidades Criativas da Unesco (RCCU), criada em 2004, tem fomentado o diálogo e a colaboração com e entre cidades ávidas por alavancar a cultura e a criatividade como meio de promoção para um desenvolvimento urbano sustentável nas suas diferentes facetas socioeconómicos e ambientais. Enquanto plataforma vital para as cidades, a RCCU promove a aprendizagem entre pares, alimenta a troca das melhores práticas e favorece os projetos colaborativos, ao mesmo tempo que empodera as cidades para a integração da vitalidade cultural no desenvolvimento de estratégias de desenvolvimento urbano abrangentes. A rede cobre sete áreas criativas — Artesanato e Artes Folclóricas, Design, Cinema, Gastronomia, Literatura, Media Arts e Música — os esforços da Rede de Cidades Criativas estende-se para lá da preservação cultural; é um sinal de envolvimento ativo na identificação de tendências, na abordagem aos desafios da urbanidade, e na transformação de interações culturais em ativos valiosos.

Saibam mais

Conferência Anual da RCCU

INDEX © José Caldeira

A Conferência Anual da Rede de Cidades Criativas da UNESCO é uma oportunidade única para o fortalecimento dos laços entre cidades de todo o mundo e serve como uma plataforma que define objetivos estratégicos de uma rede expandida e equilibrada. A Conferência Anual é organizada anualmente (exceto em casos de força maior) por uma das Cidades Criativas.  

Conferências Anuais anteriores: Paris (2008), Santa Fe (2008), Lyon (2009), Shenzhen (2010), Seoul (2011), Montréal (2012), Bologna (2013), Chengdu (2014), Kanazawa (2015), Östersund (2016), Enghien-les-Bains (2017), Krakow e Katowice (2018), Fabriano (2019), Santos (2022).



XVI Conferência da Rede Cidades Criativas da UNESCO, Braga, Portugal, 2024

Circuito_Braga Media Arts ©Lais Pereira

Com um foco claro no tema ‘20 anos da RCCU: trazer a juventude para a mesa na próxima década’, a conferência sublinha a importância do uso do poder da criatividade e da cultura na construção de cidades resilientes e inclusivas por todo o mundo, destacando a importância do envolvimento de jovens pensadores na moldagem desse futuro. 

Na CCCU Braga 2024, o objetivo é demonstrar como a criatividade das cidades capacita uma vida urbana mais sustentável e colorida. A mesma procura facilitar um diálogo substantivo em torno dos diversos fatores que moldam a governança cultural, que fortalecem iniciativas de investimento, e que cultivam colaborações e inovações interseccionais e diversas. Adicionalmente, chama a atenção para a importância de soluções criativas e culturalmente orientadas no alavancar do desenvolvimento sustentável. Assim como clarifica qual o lugar da cultura na sociedade atual através do ponto de vista das cidades, enfatizando o seu reconhecimento internacional como bem público. 

As Cidades

Para abraçar de forma mais efetiva a colaboração entre diferentes expressões artísticas, as discussões propostas pela Conferência estendem-se através de um programa imersivo dinâmico a ter lugar nas Cidades Criativas do Norte de Portugal –  Amarante, Barcelos e Santa Maria da Feira. 

Braga
Amarante
Barcelos
Santa Maria da Feira

Braga

Com a sua enorme beleza e rico património, Braga combina tradição e inovação, memória e juventude, criatividade e conservação. Com mais de 2000 anos de história, Braga é marcada por espaços que se destacam como marcos e visitas obrigatórias, tais como o Santuário do Sameiro, o Bom Jesus e as ruínas da cidade romana que lhe deu origem. População: 174 000 habitantes. Cidade Criativa da UNESCO em Media Arts desde 2017.

Amarante

Atravessada pelo Rio Tâmega e situada entre as Serras do Marão e da Aboboreira, Amarante é um destino enriquecido por séculos de história, oferecendo uma particular mistura entre natureza, cultura e gastronomia. A zona urbana da cidade é adornada por um belo cenário que integra edifícios históricos, igrejas, as margens do rio, e a sua ponte icónica. História, artes e literatura estão profundamente enraizados na cidade, que viu nascer várias figuras importantes da cultura portuguesa. População: 52 000 habitantes. Cidade Criativa da UNESCO em Música desde 2017.

Barcelos

Atravessada pelo Rio Cávado, Barcelos é uma das mais emblemáticas cidades no quadro da arte tradicional e folclórica portuguesa, sobretudo devido à sua longa tradição e à originalidade da sua cerâmica. Cidade antiga, assente em território com herança arqueológica a datar desde a Pré-História, numa visita a Barcelos não pode faltar o Largo da Feira, o Museu de Cerâmica e o Centro de Artesanato. Terra de identidade forte, é a cidade natal do Galo de Barcelos, um dos mais icónicos símbolos portugueses. População: 116 000 habitantes. Cidade Criativa da UNESCO em Artesanato e Artes Folclóricas desde 2017.

Santa Maria da Feira

Santa Maria da Feira deve o seu nome à feira que costumava ter lugar na região e serve como ponte entre o Norte e Centro de Portugal. O seu símbolo mais histórico é o castelo, mas a cidade também é dotada de infraestruturas mais modernas. Entre os eventos mais tradicionais do seu calendário, destaque para o Festival da Fogaça. O mesmo integra um desfile ligado à tradição local das fogaças, pão doce típico da região. População: 136 000 habitantes. Cidade Criativa da UNESCO em Gastronomia desde 2021.

Produção
Co-organização e produção
Co-Produção
Parceiros de Acolhimento
Apoios